Sem categoria › 05/10/2016

Campanha missionária aborda postura do homem diante da criação

O mês de outubro é dedicado às missões; uma ocasião para que os fiéis intensifiquem suas orações e cooperem com as obras missionárias em todo mundo. Neste ano, o tema proposto, “Cuidar da Casa Comum é nossa missão”, está relacionado com a Campanha da Fraternidade 2016 e com a Encíclica Laudato si, do Papa Francisco, sobre o cuidado com o meio ambiente.

Na Encíclica, Francisco afirma que a existência humana se baseia sobre três relações fundamentais intimamente ligadas: as relações com Deus, com o próximo e com a terra.

O diretor nacional das Pontifícias Obras Missionárias (POM), padre Maurício da Silva Jardim, que organizam esta campanha, chama a atenção para a necessidade de uma mudança na relação do homem com o planeta. Ele explica que tudo está interligado e que não se pode cuidar somente dos animais e descuidar da pessoa humana. É uma conversão que passa pela consciência pessoal, familiar e da sociedade.

“O Papa está convidando a humanidade. A campanha missionária também convida a uma conversão ecológica, uma conversão pessoal, uma mudança de mentalidade na relação com o planeta, no uso da terra e da água”.

Atitudes de conversão

O padre explica que existem várias formas para o cristão se envolver e participar da proposta deste mês missionário. Para ele, o mais importante é deixar de se preocupar consigo mesmo e olhar para o outro, especialmente para os que mais precisam.

“A gente pode começar com gestos muito concretos. Em casa, a gente pode ter o cuidado com uso da água, o consumo de energia elétrica, a limpeza, a questão do lixo descartável. Essa é a mudança de mentalidade que o Papa convida”.

Muitas ações nessa linha têm crescido no país, afirma o diretor das POM. Ele conta que paróquias e dioceses estão cada vez mais atentas a esse tema, mas que o convite a esta reflexão ultrapassa as portas da Igreja.

“A campanha tem cartaz, tem subsídio, tem todo um material de reflexão que a gente pode trabalhar dentro da escola, no bairro, é um tema amplo. É um tema provocativo mesmo, para a gente olhar mais para fora do que para dentro”.

Três formas de cooperação missionária

Diante do mandato missionário da Igreja, de levar a Palavra de Deus a todos os povos, muitos missionários deixam sua terra para evangelizar. Mas nem todos os cristãos têm esse chamado específico. O padre explica que mesmo assim é possível cooperar com a missão evangelizadora.

A primeira forma que a comunidade pode se envolver é com a oração. “A consciência passa pela oração, pela escuta da palavra de Deus, estamos em comunhão com Deus. Isso todos podem fazer: rezar”.

A segunda forma é cooperar materialmente. No penúltimo domingo de outubro, dia mundial das missões, a Coleta realizada nas missas é enviada às Pontifícias Obras Missionárias (POM) que as repassam ao Fundo Universal de Solidariedade para apoiar projetos em todo o mundo.

E a terceira forma é se deslocar, colaborar com comunidades ou dioceses vizinhas por exemplo. “O Papa Leão XIII resumia essas três formas de cooperar dizendo: a missão se faz com o joelho dos que rezam, as mãos dos que partilham e com os pés daqueles que partem”, disse o padre.

Por Canção Nova

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.