Palavra do Frei › 06/05/2016

Mês de Maria – Mês das Mães

MariaEnsinaJesus2 Mês de Maria – mês das Mães A Maria Virgem Mãe, filha do teu filho, Humilde e superior à criatura, Por conselho eternal predestinada! Por ti se enobreceu tanto a natureza humana, Que o teu Criador não desdenhou de se fazer tua feitura. No ventre teu se reacendeu o amor, E em seu calor, na paz da eternidade Assim é germinada esta flor. (Dante Alighieri, Divina Comedia – Paraíso XXXIII, 1-39) MÃE... São três letras apenas, As desse nome bendito: Três letrinhas, nada mais... E nelas cabe o infinito E palavra tão pequena - confessam mesmo os ateus - E apenas menor do que Deus! (Mario Quintana) Maio é dedicado por nós católicos à Mãe de Jesus e nossa Mãe – Maria. É primavera no hemisfério norte, mas aqui para nós é também o mês das flores. Mês da flor por excelência que é Maria, Mãe de Deus – porque o Filho que ela gerou é verdadeiramente Deus e verdadeiramente homem. No dizer poético de Dante, ela é a Virgem filha do seu Filho, humilde e superior a toda criatura. No calor de seu seio reacendeu-se o amor e floresceu a Paz. No dizer do Magnificat, Maria é a pequena engrandecida por Deus e proclamada bendita por todas as gerações, pelas maravilhas que o Criador nela realizou (cf. Lc 1, 46-55). O mês de maio é envolvido pela Virgem Maria, celebrada no dia 13, na Mãe de Fátima, que ensina seus filhos a voltarem os corações para Deus na oração, e, no dia 31 de maio, na solidária e profética Visitação a Isabel. Revela-se a humildade e a grandeza da Mãe do Redentor da humanidade. Com ela e por ela podemos dizer: O Poderoso fez em mim maravilhas e santo é o seu nome! Maio é também o mês da mais bela das flores – a flor-mamãe. Utilizo aqui a expressão de uma conhecida música popular que enaltece a beleza das mães. Não existe outra flor mais bela no jardim da vida. E toda esta beleza podemos contemplar no rosto de Maria e no rosto de nossa mãe. Nestes rostos podemos contemplar, desde nossa mais tenra idade, a beleza do amor, a segurança e a paz. No aconchego do colo de nossa mãe, nos sentimos no céu. Penso que o pequeno poema de Mário Quintana expressa este sentimento. Mãe é um nome bendito, dentro do qual cabe o infinito! Queremos parabenizar a todas as mães! As que estão conosco e as que já estão no céu! Parabenizamos todas as mães dizimistas da nossa Paróquia, que ajudam a sustentar esta nossa Casa. Que Deus abençoe a todas as mães e faça com que elas todas sejam benditas, como Maria! Frei Edilson Rocha, OFM

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.